Procura-se um amor Cap.2

Este é o segundo capítulo dessa história emocionante.
Tony: Você pode falar?
Cintia: Estou preparando o meu almoço, mas pode falar.
Tony: E o que você está preparando?
Cintia: Bife à rolê com purê de batatas.
Tony: Deve cozinhar bem. Eu sempre improviso um lanche ou peço pelo telefone.
Cintia: Comida caseira é minha preferência.
Tony: Acho que já está na hora da gente se conhecer pessoalmente…
Cintia: Demorou. Pensei que não ia chegar esse dia.
Tony: Está passando um filme bom no cinema. É romântico.
Cintia: Pode ser nesse domingo.
Tony: Eu não lembro o nome, mas é recomendado.
Cintia: Faz tempo que não vejo filme pela telona…
Tony: É um prazer saber que você veio comigo.
Cintia: Ai, eles estão chorando.
Tony: Você está chorando… Como é romântica.
Cintia: O que você quer?
Tony: Te beijar. Passou da hora.
Cintia: Eu também.
Tony: Eu te amo.
Cintia: Promete que será pra sempre…
Tony: Eu prometo.
Roseli: O que aconteceu, amiga?
Cintia: Estou grávida.
Roseli: Você arriscou pegar uma doença?! Não usou camisinha?!
Cintia: Cofesso que errei. Mas foi tão bom!
Roseli: E agora você vai ter?
Pode interromper se quiser.
Cintia: Eu pensei que não seria mãe, na minha idade.
Roseli: Com a saúde que você tem. Isso era possível.
Cintia: Vou contar pra ele. Ele tem o direito de saber.
Roseli: Quem diria, você achando que estava jogada às traças. Fisgou um partidão!
Um filho é sempre uma garantia num relacionamento.
Cintia: Preciso saber o que você pensa. Vamos interromper? Por mim tudo bem.
Tony: Eu sempre quis ser pai…
Cintia: Não decidi nada ainda. Vamos jantar. É melhor.
Roseli: É a oportunidade de vocês formarem uma família.
Tony: Sempre sonhei em ter uma família. Você podia convencê-la a ter o nosso filho.

Autor: Laercio Lucena


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *